Campanha Fevereiro Laranja faz alerta sobre combate à leucemia


A campanha Fevereiro Laranja reforça a importância sobre a conscientização para a prevenção, diagnóstico e combate à leucemia, um tipo de câncer do sangue. A doença afeta os glóbulos brancos do sangue conhecidos como leucócitos, ocasiona a produção de células doentes na medula óssea e, consequentemente, prejudica a imunidade do paciente provocando possíveis infecções.

Com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) recebeu recursos por meio do Programa de Apoio à Consolidação das Instituições Estaduais de Ensino e/ou Pesquisa (Pró-Estado) e Programa Estratégico de Ciência, Tecnologia & Inovação nas Fundações de Saúde do Amazonas (Pecti/AM-Saúde) para o desenvolvimento de projetos de adequação e ampliação de laboratório de genômica humana aplicada à pesquisa de doenças do sangue, ampliação da infraestrutura para suporte à Pesquisa e Ensino e Desenvolvimento de Novas Tecnologias na Área da Hematologia.

Para falar sobre o assunto o Portal da Fapeam conversou com o médico hematologista e diretor-clínico da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), Nelson Fraiji.

O que é leucemia?

É um tipo de câncer no sangue que ocorre em crianças e adultos. É uma doença de prognóstico reservados e ruins se não tratados, mas tem tratamento e muitos pacientes se curam dessa doença.

Quais sintomas indicam que o paciente deve procurar ajuda médica imediatamente?

Em geral, a doença se apresenta clinicamente como uma anemia. A anemia provoca fraqueza, tontura, cansaço aos esforços e, a anemia pode ser causada por muitos fatores, mas além da anemia se soma uma febre devido a uma infecção e algumas hemorragias pontuais na pele, pontos hemorrágicos visíveis como se fosse uma picada de mosquito principalmente nas pernas e algumas manchas de sangue na pele, sangramento na gengiva ou no nariz. Essa tríade (anemia, febre e alguma manifestação de hemorragia discreta), mas nem sempre as três manifestações aparecem juntas. Existe a possibilidade de leucemia em recém-nato, provavelmente já houve uma transformação da célula no útero, mas é muito raro. Há um pico de frequência da doença na idade de cinco anos e, depois nos adultos começa a crescer a medida que há o progredir da vida. Então, pode ter leucemia do início ao fim da vida de uma pessoa.

A leucemia pode ser confundida com outra doença e prejudicar o diagnóstico?

Muitas vezes! Ela começa com uma anemia e, muitas vezes essa anemia é pensada ser de outra causa e é tratada como outra causa. Nós perdermos e, quando o médico reconhece essa doença ela está avançada e muitas vezes sem tempo de tratamento. É uma doença grave, fatal e de evolução rápida para a morte. Se não houver um diagnóstico precoce, a evolução sendo rápida sem tratamento, a pessoa pode falecer entre quatro a cinco semanas. Por isso, a preocupação é fechar o diagnóstico e oferecer as chances de tratamento. O diagnóstico de suspeição não precisa de muita sofisticação, mas de um médico atento e um sistema que esteja aberto a atender às pessoas.

Tem como prevenir a leucemia?

Não existe possibilidade de prevenção. Obviamente tudo que nós fazemos desregradamente na nossa vida tem implicação, por exemplo, fumar, ser um etilista inveterado, usar drogas ilícitas, viver em ambiente insalubre tem consequências. A leucemia do ponto de vista da investigação científica tem como origem provavelmente uma infecção viral no passado, contato com substâncias agressivas para as células do sangue, por exemplo, os solventes (gasolina, produtos derivadas do petróleo, defensivos agrícolas) isso tudo do ponto de vista dos estudos prévios podem mudar a célula e causar leucemia, mas no indivíduo em particular não é possível identificar o que foi que causou. Então, nessa reposta é vida saudável, praticar exercícios, não fumar, não beber, isso melhora a vida em muitos aspectos.

Quais tratamentos são indicados para a leucemia?

O tratamento tem várias modalidades. Começa sempre com quimioterapia que é um conjunto de remédios que são bastante fortes do ponto de vista dos efeitos sobre a pessoa. No mais são eficazes no controle inicial da doença. Se esse tratamento quimioterápico controlar inicialmente a doença o tratamento é feito por ele, em média, por dois anos. Além dele você pode somar o transplante de medula, imunoterapia e radioterapia.

Quais as chances de cura?

Entre as crianças (faixa etária de 0 a 11 anos) se diagnosticadas precocemente tem chance de cura de 50% a 70%. O adulto, a medida que vai envelhecendo a chance de cura reduz e vai de 60% a 30%.

Qual a importância do fomento da Fapeam para a qualidade do diagnóstico?

Com o apoio financeiro da Fapeam implantamos laboratórios genéticos, de biologia molecular e projetos de pesquisa que estão nos ajudando a melhorar a qualidade do diagnóstico e, que já estão se refletindo na melhoria do tratamento dos pacientes. Nós introduzimos no Hemoam tecnologias genéticas de identificação de mutações que estão em processo de desenvolvimento. No diagnóstico de leucemia nós utilizamos tecnologias muito avançadas porque não existe um tipo de leucemia existem dezenas de leucemias e, uma em particular, um tipo especial de leucemia pode ter variáveis genéticas de mutação que indicaria para nós, quando identificadas essas alterações genéticas, que aquele paciente vai responder ou não ao tratamento e essa informação é muito importante para nós planejarmos o tratamento e aumentarmos a chance de cura do paciente.

Onde se deve procurar ajuda especializada para que se defina a melhor rota terapêutica?

Esses problemas que não caracterizam urgência e emergência tem que começar no posto de saúde ou na casinha que é a primeira instância da assistência. Quando o médico que está avaliando o paciente verifica a gravidade do problema ele entra no sistema. Eu quero destacar um compromisso e a ação que o Hemoam faz quando nós identificamos que o paciente tem uma leucemia aguda. Com 48h ele tem diagnóstico feito e está internado fazendo o seu tratamento. Esse resultado em relação à identificação de uma leucemia e o tempo do tratamento são poucas as instituições no Brasil que fazem. Nós entendemos que a precocidade do início do tratamento neste tipo de doença é fundamental para o paciente.

Casos

Em 2019, o Hemoam registrou 152 novos casos de leucemia. Desse total 60 são de crianças e adolescentes de 0 a 18 anos. Os outros 92 casos foram de adultos. O Hemoam também atendeu pacientes do interior do Amazonas, representando 40% dos casos e, pacientes de outros estados, sendo dois de Roraima (RR), um de Porto Velho (RO) e um do Pará (PA).

Por: Helen de Melo e Érico Xavier

Fotos: Érico Xavier

  • banner-lateral---Ações-da-Fapeam-Covid-19

  • Banner Linha de Ação

  • F75619AF-2727-4CA5-A8B0-BEC2E9F4C6C7