Cenário da pós-graduação no Brasil


O Departamento de Difusão do Conhecimento (Decon) da Fapeam  entrevistou o professor José Roberto Mineo, coordenador da área de ciências biológicas 3, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que esteve  em Manaus, no mês de abril,  para ministrar a palestra  “Desafios para os programas de pós-graduação e estratégias de integração e cooperação”. Na entrevista,  Mineo fala sobre o cenário da pós-graduação no Brasil. Confira!

FAPEAM- Na sua visão, o que precisa ser feito para fortalecer o cenário da pós-graduação no Brasil?

José Roberto Mineo – O grande patrimônio do Brasil é o Sistema Nacional de Pós-Graduação, que pode fazer toda a diferença nessa geração e nas próximas. Uma das formas de fortalecer os programas de pós-graduação no país é por meio do processo de interação e cooperação. Passamos por um processo que é a falta de pessoas altamente qualificadas e nesse contexto a Capes é a nossa grande mãe, aquela que desde Anísio Teixeira na décadas de 50, 60 começou toda essa questão da formação, uma visão futurística. Acho que todos os nossos problemas econômicos e sociais passam por essa ausência de pessoas qualificadas em postos chaves.

FAPEAM- Quais os principais desafios da pós-graduação no Brasil na atualidade?

José Roberto Mineo – É ter uma forma de distribuição geográfica que corrija as chamadas assimetrias porque uma coisa é termos a biodiversidade, outra é nos apropriarmos dela. Isso você só faz com pessoas altamente qualificadas em postos-chaves, por meio da formação de pessoas. Isso não pode ser algo descontínuo, o processo de formação de recursos humanos deve ser contínuo, é uma política de Estado, uma política de gerações e gerações.

FAPEAM- Qual a leitura que você faz do cenário do Amazonas em relação a isso?

José Roberto Mineo – A gente sabe que o estado do Amazonas, é algo impar; o Brasil é um grande mosaico, cada estado tem suas peculiaridades. Sabemos que as instituições daqui estão cientes disso, agora isso, tudo passa pela questão do financiamento, por apoio a renovar os quadros, o caminho é muito bom e certo, as instituições chaves têm. Agora é preciso alimentá-las e retroalimentá-las com a renovação das pessoas e prover com recursos.

FAPEAM- Como o senhor avalia o papel das Fundações de Amparo à Pesquisa  dentro desse cenário de apoio à formação de recursos humanos no país?

José Roberto Mineo – As Fundações de Amparo à Pesquisa são instituições fundamentais no processo de formação de recursos humanos. Essas Faps são formadas por um corpo critico de pessoas, desde seu presidente ao seu diretor executivo, que tem essa visão que é fundamental, complementar, trabalhar de forma integrada com CNPq, Capes, Finep, e decide à luz da sua realidade o que é realmente necessário.

 

Por Esterffany Martins e Érico Xavier

 

  • 2019-11-08

  • Untitled-3

  • E-Ouv-300x212

  • NOVO-CRONOGRAMA