Outubro Rosa reforça a importância da prevenção e detecção precoce do câncer de mama


De acordo com levantamento realizado pelo  Instituto Nacional do Câncer (Inca) cerca de 440 novos casos de câncer de mama devem ser registrados no Amazonas, anualmente. No Brasil o câncer de mama é segundo tipo mais comum representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. Estima-se 59.700 casos novos de câncer de mama em 2019, com risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

para-matériaPara falar sobre o assunto a equipe de comunicação da Fapeam conversou com o médico mastologista, Gerson Mourão, que é atualmente o diretor-presidente da  Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon). Na entrevista, Mourão  fala sobre o câncer de mama, os mitos que circulam sobre a doença e as formas de prevenção. Boa leitura!

1-   Fapeam-  O que é o câncer de mama? Como a doença se desenvolve?

Gerson Mourão  (G.M) – O câncer de mama consiste no crescimento desordenado das células da mama. A célula do câncer não tem nenhuma função ela simplesmente cresce e vai sugando o alimento das outras células, destruindo o corpo da pessoa e crescendo com uma rapidez muito grande.

2-   Fapeam-  Quais os principais fatores de risco relacionados ao desenvolvimento do câncer de mama?

G.M- Por exemplo, se uma pessoa já teve alguém na família com câncer de mama o risco aumenta e quanto maior o número de pessoas na família maior o risco. E outro detalhe importante, se na família um homem teve câncer de mama o risco aumenta da mesma forma. Outro exemplo, a pessoa que engorda muito depois da menopausa o risco aumenta assustadoramente. O  consumo excessivo de álcool, tabagismo, sedentarismo, estresse, também estão entre os  fatores de risco.

3-  Fapeam- O câncer de Mama é hereditário?

G.M- As pessoas têm uma ideia que o câncer de mama é genético ou  hereditário, ou seja, se a tia, a mãe ou avó tiveram, não significa que pessoa vai adquirir também, 90% dos cânceres não são hereditários, apenas 10% são hereditários e outros não sabemos qual a causa. No entanto, quem possui histórico familiar de câncer de mama é bom ter uma orientação individualizada com o especialista. É importante destacar que mesmo que não haja casos na família, a partir dos 40 anos, a orientação é que todas as mulheres façam o exame de rastreamento.

4- Fapeam- Existem  sintomas do  câncer de mama?

G.M – O câncer é uma doença silenciosa, quem dera que ele detectasse dor. O nódulo que mulher sente na mama no momento do autoexame cresce devagar sem causar dor, mas quando  atinge 1 cm ele ganha força e vai se desenvolvendo rapidamente. Outro detalhe, nenhum câncer acontece de repente, quando a mulher sente um nódulo de 1 cm ele já existe há uns 10 anos, ele  não nasceu da noite para o dia. A maioria dos nódulos pequenos  que uma mulher apalpa é benigno, agora se for grande pode ser um câncer.

5- Fapeam- A partir de que idade a mulher deve fazer estes exames?

G.M- A mamografia deve ser realizada a partir dos 40 anos, anualmente, para todas as mulheres. Antes disso,  oriento fazer sempre o autoexame que é o toque de mama, após cada ciclo menstrual.

6- Fapeam- Quais as recomendações referentes à prevenção?

G.M- Primeiro ser feliz, que busque sua felicidade; segundo uma alimentação saudável, evitar bebida alcoólica, praticar algum tipo de atividade física, grande parte dos cânceres têm relação com não praticar atividade física, não precisa ser um atleta, mas uma caminhada de 30 minutos todos os dias salva muita gente. Dentro da  parte clínica, a orientação é fazer a mamografia, anualmente,  a partir dos 40 anos.

 7-   Fapeam- Quais são as chances de cura de câncer de mama? Ao ser diagnosticado quais os procedimentos?

G.M- Quando diagnosticado precocemente, existe  95% de chance de cura. Quando  a mulher recebe o diagnóstico, primeiro ela precisa mudar seu estilo de vida, se for sedentária e consome bebida alcóolica ou fumante, de imediato será necessário  repensar em eliminar esses hábitos. Isso tudo vai contribuir para aumentar a resistência e o bem- estar dela, para conseguir enfrentar a doença.

8-  Fapeam- Quais os principais mitos sobre o câncer de mama?

G.M- O primeiro é o desodorante antitranspirante, é preciso desmistificar para a população que o uso de desodorante à noite pode causar câncer de mama. O segundo é a pancada nas mamas, e o terceiro, porém muito importante  é sobre a  mamografia, dizem que quando realizada muitas vezes provoca  o câncer de mama, por conta da irradiação do exame, tudo isso são ideias divulgadas sem respaldo científicos.

9-  Fapeam- A atriz Angelina Jolie devido histórico familiar, ela submeteu a uma mastectomia redutora de risco, após realizar um exame genético. Esse exame é efetivo?

G.M- O caso da Angelina Jolie foi o seguinte, ela fez o teste chamado BRCA1/BRCA2 , que serve para detecção de câncer de mama e ovário hereditários, quando ela fez o teste deu positivo  e decidiu submeter a mastectomia, pois devido o histórico familiar dela ela iria chegar aos 80 anos de idade com 85% de chance de ter o câncer, que no normal para as mulheres sem histórico são de 12 % uma diferença muito grande, esse exame no caso dela foi fundamental. Só que tem um grande detalhe que não foi muito divulgado, ela apenas diminuiu a porcentagem de adquirir o câncer, mas não zerou a possibilidade, ela conseguiu diminuir para 8%  bem menor que da população geral, porém não zerou nenhuma chance.

10-  Fapeam-  Você acha que as mulheres estão mais atentas depois que a campanha Outubro Rosa passou a ser realizada com mais intensidade?

G.M- A campanha contribuiu para a conscientização das mulheres, mas infelizmente ainda não mexeu na quantidade de mortes, esse é o grande problema isso que precisamos resolver. No Brasil o câncer de mama continua tendo o maior índice, com exceção do nosso estado que é o câncer de colo de útero, ele supera o câncer de mama.

 

Por: Jessie Silva

Foto: Érico Xavier

  • 2019-11-08

  • Untitled-3

  • E-Ouv-300x212

  • NOVO-CRONOGRAMA