Fapeam celebra o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência na Feira da Aparecida


O Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência, celebrado em 11 de fevereiro, contou com atividade promovida pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em parceria com a Secretaria de Estado Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), na Feira Itinerante da Aparecida.

IMG_9280

Projeto desenvolvido pelo PCE é apresentado ao público

O objetivo do evento foi estimular o acesso integral e igualitário de mulheres e meninas na ciência. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco),  o número de mulheres pesquisadoras no mundo é menor que 30%. Isso significa que precisamos trabalhar pela igualdade na ciência, com uma maior participação de mulheres, comenta a diretora-presidente da Fapeam, Márcia Perales.

“A Fapeam passou a incluir esta data também em seu calendário anual. Em função disso, em parceria com a Sedecti, está promovendo diversas ações em referência ao movimento, com o objetivo de estimular a atuação de meninas e mulheres na ciência e para gerar a reflexão sobre este tema que tem relevância extraordinária para o Estado”, disse.

Durante a ação realizada nesta terça-feira (11/2), pesquisadoras e estudantes envolvidas em projetos de pesquisa amparados pela Fapeam divulgaram os resultados de seus trabalhos para feirantes e consumidores. A atividade teve o intuito de mostrar para a sociedade a atuação da mulher na ciência, incentivar mulheres e meninas a ingressarem na carreira científica e, promover a socialização do conhecimento científico e tecnológico.

“Essa atividade está alinhada ao Plano Plurianual do Governo do Estado, aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e às metas da agenda 2030. Queremos dar visibilidade a esse dia para estimular a participação de mulheres e meninas na ciência. A feira é um bom lugar para mostrar que a ciência está presente no dia a dia das pessoas”, disse a diretora técnico-científica da Fapeam, Márcia Irene Andrade.

Ciência no dia a dia

Com uma linguagem acessível ao público, pesquisadoras demonstraram na prática, o papel importante que a ciência e a tecnologia exercem no cotidiano das pessoas, mostrando aos visitantes como apropriar-se do saber científico.

Um dos projetos apresentados foi da pesquisadora Geina Faria, professora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), no município de Coari (AM).  Para ela a iniciativa da Fapeam valoriza a pesquisa científica no Estado e, mostra a representatividade das mulheres na ciência.

Durante a ação, Geina apresentou ao público seu projeto intitulado “Brownies de açaí e castanha sem glúten, sem leite e com redução lipídica: perfil sensorial e estudo de consumidores”.  O produto utiliza insumos da região Amazônica como o açaí, a castanha da Amazônia e o extrato de cumaru.

Feirante, Maria José - Fotos Érico X. _

Brownies feito com insumos amazônicos é bem avaliado pela população

“A ideia foi desenvolver um produto alimentício funcional que favorecesse os indivíduos com intolerância ao glúten e à lactose e, ao mesmo tempo, tivesse propriedades benéficas à saúde”, disse Geina.

Da educação básica foi apresentado o projeto da professora Nancy Barbosa desenvolvido no âmbito do Programa Ciência na Escola (PCE) na Escola Estadual Maria Madalena Santana de Lima, no bairro Armando Mendes, zona Leste de Manaus.

O projeto intitulado “Formulação de Sorvetes Caseiros como Estratégia para o Ensino de Química” foi desenvolvido com os estudantes do Ensino Médio, para popularizar o ensino de química.

“Os alunos melhoraram o rendimento escolar e aprenderam na prática conceitos e teoria e, esse conhecimento pode até gerar renda para a família”, disse Nancy.

Para a aluna da professora Nancy, Letícia Santos, a metodologia deixou as aulas mais dinâmicas e fez com que os alunos tivessem interesse pelo conteúdo ministrado em sala de aula.

“A teoria do ensino de química foi potencializada pela prática”, comenta sobre o projeto Maria Beatriz Caminha, aluna da escola.

Aceitação

Durante a ação, feirantes, expositores e o público em geral puderam degustar os dois produtos desenvolvidos pelas pesquisadoras e os alimentos foram bem avaliados pelos degustadores.

A feirante, Maria José, aprovou o sabor do bolinho feito com produtos da região Amazônica e adoçado com açúcar demerara, que é menos processado que o açúcar branco.

O técnico agrícola Francisco Júnior disse que precisa controlar os níveis de glicemia no sangue, por isso aprovou os brownies.

Para o comerciário André Barroso, atualmente as pessoas se preocupam em ter alimentação saudável e qualidade de vida, daí ser  importante desenvolver um alimento benéfico para a saúde.

A nutricionista Camila Cyrino comentou que a iniciativa da Fapeam é importante para que o resultado do estudo científico seja popularizado e chegue ao conhecimento da população.

Data

O Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência, instituído 11 de fevereiro, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco e pela ONU Mulheres. Segundo a Unesco, apenas 28% dos pesquisadores do mundo são mulheres. A data é um lembrete de que as mulheres e as meninas desempenham papel fundamental nas comunidades da ciência e tecnologia e que sua participação deve ser fortalecida.

Outras ações estão previstas para serem realizadas no dia 2 e 6 de março.

 

Por: Helen de Melo

Vídeo e Fotos: Érico Xavier

Deixe um novo comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

  • banner-lateral---Ações-da-Fapeam-Covid-19

  • Banner Linha de Ação

  • F75619AF-2727-4CA5-A8B0-BEC2E9F4C6C7