Simpósio discute ética, bem-estar e biossegurança na pesquisa com animais


Ética, bem-estar animal e biossegurança são assuntos discutidos no 4° Simpósio de Experimentação Animal do Amazonas (Simpexa), que ocorre de 6 a 8 de novembro, em Manaus, reunindo especialistas de âmbito nacional no tema. Associado ao Simpósio, também é realizado  I Encontro de Comissões de Ética no Uso de Animais (CEUAs) da Região Norte, no dia 8. A programação ocorre no auditório da Ciência, campus I do Inpa, em Manaus.

O 4° Simpexa é realizado pela Embrapa Amazônia Ocidental e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), por meio do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev), que visa apoiar a realização de eventos regionais, nacionais e internacionais sediados no estado do Amazonas, relacionados à Ciência, Tecnologia e Inovação, visando divulgar resultados de pesquisas científicas e contribuir para a promoção do intercâmbio científico e tecnológico.

Durante a abertura do Simpósio, a chefe-geral da Embrapa Amazônia Ocidental, Cheila Boijink, ressaltou a parceria Inpa e Embrapa na organização do simpósio e agradeceu a Fapeam pelo patrocínio do evento, que traz temas importantes na atualização de conhecimentos , e abordagem da ética na pesquisa com animais. Boijink destacou que as comissões Ceuas têm extrema responsabilidade no papel de orientar os pesquisadores e todos que manipulam animais para fazer as ações de forma que amenize o sofrimento e preserve bem estar dos animais.

A chefe do Departamento de Avaliação da Fapeam, Ana Cláudia Maquiné Dutra, parabenizou pela realização do Simpósio ser exitosa e referência na experimentação animal da região norte.article (2)

A representante do Inpa e uma das coordenadoras do evento, pesquisadora Lígia Uribe Gonçalves, também agradeceu o apoio da Fundação e ressaltou que, no cenário do País de cortes de recursos nas pesquisas, a Fapeam vem mantendo editais e honrando seu compromisso com a ciência.

A pesquisadora Edsandra Chagas, da coordenação do 4° Simpexa, e coordenadora da Ceua da Embrapa Amazônia Ocidental, ressalta que este evento é de grande importância para a capacitação dos pesquisadores e membros de Ceuas, e por permitir a interação e socialização das experiências entre os diversos órgãos que atuam na experimentação animal.

No primeiro dia do simpósio, dia 6, foi apresentado o Papel do Concea na Experimentação Animal, por Renata Mazaro (Concea); o Histórico da Legislação Brasileira de Experimentação , por Etelcia Moraes Molinaro, da Fiocruz-RJ, Produção e Bem-Estar de Animais de Laboratório – Roedores, por Adolpho Marlon Antoniol de Moura (Fiocruz-RJ) e à tarde estes palestrantes participaram da mesa-redonda sobre as Perspectivas da Experimentação Animal no Brasil.

 Programação

Na primeira palestra do simpósio, a coordenadora do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea),  Renata Mazaro, explicou o papel deste conselho que é integrante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Mazaro destacou a importância do País zelar pela integridade ética em suas pesquisas científicas e,para isso,manter um conselho nacional e garantir  uma legislação nacional que aborda o uso ético dos animais. O Concea é responsável por estabelecer regras para o uso humanitário de animais com finalidade de ensino e pesquisa científica, assim como o credenciamento de instituições que desenvolvem atividades nessa área. É uma instância colegiada multidisciplinar de caráter normativo, consultivo, deliberativo e recursal, formada por representantes do governo, universidades, pesquisadores, laboratórios e sociedades protetoras de animais.article (1) (1)

Dentre as questões abordadas, Mazaro destacou que o Concea estimula a implementação de métodos alternativos no Brasil, que são validados internacionalmente e buscam a substituição ou redução do número de animais nos experimentos ou ainda métodos mais refinados que consigam garantir o bem estar dos animais e também a reprodutibilidade e a confiabilidade do resultado dos testes, e com isso também reduzir a repetição de experimentos.

Para isso, entrou em vigor em setembro deste ano a Resolução Normativa n° 18 do Concea, que diminui ou substitui o uso de animais por métodos alternativos em 17 tipos de testes e experimentos. A norma vale para empresas e instituições de pesquisa públicas e privadas em todo o Brasil, e tem efeito de lei, com previsão de punições e multas para o não cumprimento.

PAREV 

O Parev tem o objetivo de apoiar a realização de eventos regionais, nacionais e internacionais sediados no Amazonas, relacionados a CT&I: congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclo de palestras, conferências e oficinas de trabalho, visando divulgar resultados de pesquisas científicas e contribuir para a promoção do intercâmbio científico e tecnológico.

A 2 chamada do programa recebe propostas até o dia 31 de janeiro, online, via SIGFapeam,   de interessados em realizar eventos  de CT&I no período de  julho a dezembro de 2020.

Acesse aqui o edital do PAREV N° 007/2019

Por: Embrapa Amazônia Ocidental e Fapeam

Fotos: Siglia Souza

Deixe um novo comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

  • 2019-11-08

  • Untitled-3

  • E-Ouv-300x212

  • NOVO-CRONOGRAMA